Blog

Rugas? Veja como funciona o tratamento com toxina botulínica

Rugas? Veja como funciona o tratamento com toxina botulínica

11/10/2016

O tratamento com toxina botulínica faz parte dos procedimentos da cirurgia plástica. Este procedimento, minimamente invasivo, envolve o uso de uma das substâncias mais conhecidas no campo do rejuvenescimento facial, também útil para tratamento de sudorese, espasmos palpebrais e cefaleia. Sua ação cosmética se dá através de injeção do produto nos músculos da face, causando o bloqueio temporário da ação destes e a consequente redução ou eliminação de linhas de expressão relacionadas ao movimento facial.

A repetição da contração muscular durante os atos de sorrir, franzir a testa, mastigar e apertar os olhos, ao longo do tempo, pode levar ao aparecimento de rugas, sinais de envelhecimento.

A formação de rugas na face ocorre pela marcação da pele por movimentos repetitivos da musculatura, e pode ser intensificada por hábitos como o tabagismo, que destroem as fibras de colágeno e elastina que sustentam a pele. Uma das opções de tratamento mais eficientes e seguras é a toxina botulínica.

Por que o tratamento com toxina botulínica traz resultado?

Como acontece com outros medicamentos, a toxina botulínica é produzida por uma bactéria e depois isolada e purificada para ser usada na prática médica.

A ação da toxina botulínica ocorre através do bloqueio dos sinais nervosos para os músculos, reduzindo, assim, sua contração e, consequentemente, amenizando e evitando o aparecimento das rugas faciais indesejadas. Entre o músculo e os nervos, há uma placa responsável pela transmissão do estímulo nervoso que produz a contração muscular. A toxina botulínica age nessa placa, dificultando a transmissão do estímulo e levando ao relaxamento da musculatura.

Devido a essa propriedade, a toxina botulínica possui outras utilidades. Além do tratamento e prevenção de rugas, a toxina atua na terapia para distonia, estrabismo, blefaroespasmo (espasmo da pálpebra), espasmo hemificial (contrações involuntárias dos músculos da face), rigidez muscular, hiperidrose (sudorese excessiva), bexiga hiperativa e até mesmo dor de cabeça crônica.

O conhecimento da anatomia facial é essencial para um bom resultado, com simetria e suavidade das expressões. É muito importante que o médico seja capacitado para realizar o procedimento, evitando complicações associadas.

Como é feito o procedimento

Uma agulha muito fina é usada para injeção de pequenas quantidades da toxina em músculos específicos, que são identificados, cuidadosamente, pelo cirurgião plástico. O objetivo é gerar o enfraquecimento das áreas de formação de rugas, preservando as expressões faciais.

O procedimento geralmente é rápido e feito no próprio consultório médico, não necessitando de anestesia. A paciente sente apenas a dor da introdução da agulha, que é perfeitamente suportável. O número de aplicações depende de fatores como as características faciais, força da musculatura da face e a presença das rugas. Não é necessário tempo de repouso ou recuperação — a paciente pode retornar às atividades cotidianas imediatamente.  Recomenda-se apenas evitar abaixar a cabeça e massagear a região nas primeiras horas após a aplicação.

Os resultados começam a ser percebidos nos primeiros dias, aguardando-se até 15 dias para avaliação do efeito completo. Retoques podem ser necessários após essa fase. A durabilidade da ação da toxina varia de quatro a seis meses. Quando começa a desaparecer, os músculos reagem e as linhas e rugas reaparecem.

Reaplicações podem ser feitas após o término da ação da toxina. Um progressivo enfraquecimento da musculatura é observado com o uso repetitivo da substância, favorecendo a prevenção das rugas.

Para otimizar os resultados, o uso da toxina botulínica pode ser combinado a outros procedimentos ancilares, tais como peelings químicos, preenchimentos dérmicos e dermoabrasão.

Cuidados e riscos

É importante não deitar, esfregar ou massagear a área tratada por, no mínimo, quatro horas após a aplicação, para evitar que a toxina se desloque para outras partes do rosto e cause enfraquecimento de áreas indesejadas de forma temporária. Algumas reações podem, não frequentemente, se relacionar ao uso da toxina botulínica:

  • equimose e vermelhidão no local da injeção;
  • dor leve na face;
  • dor de cabeça;
  • assimetrias na movimentação da face.

Nenhum estudo demonstrou que aplicações repetidas da toxina possam trazer sequelas ou danos para a saúde. Em raros casos, pode ocorrer a produção de anticorpos antitoxina botulínica, o que leva o paciente a não responder ao tratamento.

É importante ressaltar que a toxina botulínica não deve ser utilizada durante a gravidez ou aleitamento materno. Também é desaconselhável para pessoas com certas condições neurológicas, como a doença neuromotora ou miastenia grave.

Um cirurgião plástico qualificado e experiente é capaz de avaliar a necessidade e os benefícios do uso da toxina botulínica para cada paciente. O conhecimento da anatomia e características faciais individuais são determinantes para um bom resultado. Aplicada de forma equivocada, a toxina botulínica pode causar efeitos desastrosos.